Informativo

Universidade enfrenta crise hídrica e adota rodízio geral no abastecimento de água do campus Viçosa

Vista geral de uma das represas do campus Viçosa. Foto: Antônio Nogueira

Com o menor índice de precipitação de chuva acumulada dos últimos 20 anos, Viçosa e região voltam a enfrentar uma crise hídrica e, de acordo com a pró-reitora de Administração da UFV, Leiza Maria Granzinolli, a Universidade vem implementando diversas medidas para minimizar o impacto dessa crise. As ações já contribuíram com a redução de cerca de 35% do consumo de água do campus e se não fossem elas, nesse período de estiagem prolongada, que representa o pior cenário hídrico vivenciado nos últimos anos, as atividades acadêmicas da UFV já teriam sido impactadas drasticamente desde agosto.

As medidas adotadas envolvem a racionalização do consumo, o monitoramento e a busca de fontes alternativas de captação de água. Dentre as principais ações estão a reutilização da água de lavagem de filtros na Estação de Tratamento de Água (ETA), que permite uma economia média de 200 m³ de água por semana; a instalação de redutores de vazão nas moradias estudantis, Biblioteca Central e Restaurantes Universitários; a utilização de água não tratada para a construção e manutenção de imóveis e para a irrigação de jardins; a substituição de destiladores por purificadores em laboratórios; e o monitoramento de vazamentos em instalações e redes do campus. Além disso, a Universidade também investiu na busca de novas fontes de captação de água, com a perfuração de poços artesianos, que atualmente respondem por cerca de 30% do volume de água ofertado no campus.

A pró-reitora explica ainda que a Universidade está investindo na preservação e recuperação das lagoas do campus e na implantação do sistema de tratamento de efluentes em unidades experimentais vinculadas ao Departamento de Zootecnia. Tais medidas visam dispor de outras reservas de água que atualmente ainda não são utilizadas para fins de abastecimento do campus. Os efeitos dessas ações começarão a ser notados a partir de 2019, já que são medidas de grande importância, mas com resultados de médio prazo.

Rodízio geral e apoio da comunidade

Segundo o chefe da Divisão de Água e Esgoto (DAG), João Francisco de Paula Pimenta, com a precipitação de chuva abaixo da média histórica para o período e a seca acumulada que vem se prolongando de forma acentuada desde 2014, “temos o pior cenário já enfrentado”, por isso é imprescindível o apoio de toda a comunidade universitária. Em função disso, a partir desta sexta-feira (15), a UFV passará a adotar um rodízio geral, com restrição em 50% do fornecimento da água no período noturno em todas unidades do campus.

O chefe da DAG destaca que estudantes, servidores técnico-administrativos e professores têm colaborado com a economia do consumo, mas ainda não é o suficiente, devido ao período crítico vivenciado. Diante disso, ele solicita que todos passem a dar prioridade para o uso essencial de água e pense de que forma é possível reduzir o consumo em sua rotina diária, evitando desperdícios.

Divulgação Institucional/UFV

SAIBA MAIS SOBRE A UFV

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress